Quando o assunto é vazamento, não se deve fazer suposições. É necessário avaliar todas as possíveis causas antes de realizar a manutenção. Se o reparo for feito apenas com base nos sintomas, a verdadeira causa do vazamento pode passar despercebida, vindo a gerar gastos expressivos no futuro.

No caso de vazamentos em pórticos de conexões, pode ser necessário desmontar toda a conexão para ter um diagnóstico preciso da causa. Conheça a seguir os principais fatores que geram vazamentos nesses componentes.

 

 

O-ring/vedação danificados ou ausentes

Examine atentamente O-rings e vedações e avalie se estão deformados ou desgastados. Os danos podem ser quase imperceptíveis, por isso, observe com cautela.

Figura 1. O-rings danificados. À esquerda, dano por extrusão; à direita, dano por instalação inadequada

Caso o O-ring esteja danificado, é necessário substituí-lo cuidadosamente, evitando que a rosca da conexão o danifique. Recomenda-se o uso de lubrificante para que o O-ring deslize até a cavidade adequada.

Também é possível que o O-ring esteja ausente devido a erro durante a montagem. Um O-ring ou vedação deve estar acomodado na cavidade da conexão ou emparelhado com o anel de retenção. Se você não encontrar o componente nesses pontos, consulte o fabricante da conexão para verificar se ele deveria estar incluído.

Figura 2. Exemplos de áreas que devem incluir O-rings e vedações

Ao selecionar O-rings para substituição, não se esqueça de avaliar o tamanho, a dureza e o material corretos para a aplicação em questão. O material deve ser compatível com a temperatura de trabalho.

Dica: O-rings danificados podem ser apenas um sintoma do problema, e não a causa. Investigue outras possíveis causas do vazamento para garantir a solução definitiva.

Conexão danificada

É relativamente fácil detectar danos em conexões, como por exemplo rachaduras e arranhões. Ao fazer a inspeção, observe a superfície de vedação e as roscas. Até mesmo um pequeno arranhão pode prejudicar a capacidade de vedação.

Conexões podem sofrer cortes e arranhões durante o manuseio ou armazenamento. Danos na superfície de vedação ou nas roscas são irreversíveis. Recomenda-se examinar o componente antes da montagem para garantir que nenhum dano ocorreu durante o transporte ou o manuseio.

Figura 3. Exemplos de superfícies de vedação

É importante manter sempre os invólucros de proteção nas conexões até que elas sejam instaladas, a fim de evitar danos durante o transporte ou o manuseio.

Pórtico danificado

Assim como nas conexões, você pode avaliar visualmente se os pórticos estão danificados. Avalie se há riscos ou arranhões nas superfícies de vedação e nas roscas.

Caso o pórtico esteja danificado, ele pode ser substituído ou restaurado. O processo de restauração, no entanto, deve ser executado por profissionais treinados para esta função.

Montagem incorreta

A montagem é fundamental para o desempenho das conexões. O correto torque garantirá à junta o aperto necessário para que ela resista à pressão interna e à vibração.

Os principais erros de montagem são:
• O-rings presos nas roscas (fora do local apropriado)
• O-ring rasgado (pressão excessiva durante a montagem)
• Arruela de segurança danificada em conexões ajustáveis (O-ring ausente/danificado ou excesso de torque)
• Vazamento a baixa pressão logo após a instalação (torque de montagem incorreto)

Para o bom funcionamento da conexão, garanta que todos os componentes estejam em seus devidos lugares.

Figura 4. Cavidade do anel de vedação (esquerda) e O-ring ajustável com os devidos componentes

Arruela de segurança frouxa ou deformada

Alguns pórticos contêm uma arruela de segurança para prender o O-rings sob pressão. Se a arruela não estiver perfeitamente ajustada, pode ocorrer a extrusão do O-ring. Ao desmontar o equipamento para avaliação, verifique se a arruela não está frouxa ou deformada. Avalie se o O-ring está danificado na face que tem contato com a arruela (rasgado ou mascado). Para evitar estes equívocos, siga corretamente as instruções de montagem.

Outro problema comum é a compressão do O-ring quando a contraporca está no lugar errado.  Isto acontece devido à exposição da rosca abaixo da contraporca, o que causa a deformação da arruela e a consequente extrusão do O-ring, resultando em vazamento.

A arruela de segurança deve ser colocada preferencialmente na parte superior da conexão (perto da rosca da contraporca), com o aperto adequado. Arruela frouxa pode ser sinal de material de baixa qualidade, excesso de torque ou montagem inadequada. Confira se a arruela está plana ou convexa. Ela não deve ser côncava.

Roscas de tubo

Roscas de tubo têm grande tendência a gerar vazamentos quando submetidas a altas pressões, variações de temperatura, colisões e vibrações. Os principais problemas encontrados nas roscas de tubo presentes em pórticos de conexão são:

• Rachadura circunferencial na base da rosca (variação de temperatura ou vibração excessiva)
• Afrouxamento da conexão (variação de temperatura ou vibração excessiva)
• Rachadura na rosca interna, especialmente em material fundido (aperto excessivo)
• Vazamento devido à falta de material selante, emprego de vedações pré-utilizadas ou má conexão da rosca
• Vazamento devido à instalação incorreta

Ao examinar roscas de tubo, remova a fita ou o material adesivo. Examine a conexão quanto a corrosão, rachaduras, danos na rosca ou outras avarias. Se você encontrar algum destes problemas, descarte o a conexão.

Quando realizar a substituição, inspecione a nova conexão – principalmente as roscas. Consulte as instruções do fabricante para a montagem. Quase todas as roscas requerem material selante para promover a correta vedação. Tenha cuidado para não contaminar o sistema com o selante.

Conclusão

Vazamentos em sistemas hidráulicos consomem tempo e recursos das empresas. Encontrar a causa do problema pode ser trabalhoso mas é a única forma de evitar que a situação se repita.

Conte com a Recopeças para auxiliá-lo nas rotinas de manutenção. Ligue para o número 3205-1234 ou mande um e-mail para sac@recopecas.com.br